Formula 1 tenta salvar o GP da China desse ano depois de surto de coronavirus

Carros TV
Imagem: GP da China de 2014

A Formula 1, a FIA e os promotores se reunirão esta semana em um esforço para salvar o GP da China deste ano, afirmou o diretor da F1, Ross Brawn, na quarta-feira, depois que a corrida foi adiada devido ao surto de coronavírus.

Embora a corrida de 19 de abril em Xangai tenha sido suspensa, Brawn disse à Reuters que o GP do Vietnã, inaugurado em 5 de abril em Hanói, está indo como planejado.

“Estamos conversando com a FIA, conversamos com os promotores e temos algumas reuniões esta semana para ver se conseguimos encontrar uma solução”, disse Brawn à Reuters à margem do Hall da Fama do automobilismo canadense. “Vamos tentar encaixar, mas será difícil.

“Quanto ao Vietnã, todo o feedback que recebemos é semelhante ao do Reino Unido, houve alguns casos, mas não num nível que nos preocuparia.”

“O conselho que estamos recebendo é que podemos ir adiante”.

Brawn não disse quando ou onde a reunião aconteceria.

Uma série de eventos esportivos internacionais foram cancelados devido ao coronavírus, incluindo a Formula E que abandonou os planos para uma corrida na cidade chinesa de Sanya no próximo mês.

O vírus da gripe já matou mais de 1.100 pessoas e infectou mais de 44.000 na China depois que surgiu na cidade central de Wuhan no final do ano passado.

Mesmo que a China consiga controlar a epidemia, é problemático encontrar uma janela em um calendário lotado para que o GP da China de F1 volte ao cronograma.

“Pode ser necessário outra corrida se movimentar, e isso é uma grande consideração e uma grande preocupação”, disse Brawn. “Seria muito estressante para as equipes se encaixar, mas acho que nenhum de nós quer perder o GP da China.”

“Estamos fazendo nossos melhores esforços, mas não há garantia.”

Com o agravamento da epidemia, Brawn disse que a F1 simplesmente ficou sem tempo para tomar uma decisão sobre a corrida e com o equipamento prestes a ser carregado nos barcos ficou sem opção a não ser puxar a tomada.

“Devido à logística da Formula 1, grande parte do frete marítimo estava se preparando para zarpar e, uma vez terminado, não podemos recuperá-lo, então estava realmente chegando a um ponto crucial em que tínhamos que tomar uma decisão”, disse Brawn. .

“A autoridade organizadora da China e os promotores informaram que realmente não viam a situação ser resolvida no momento da realização da corrida, por isso concordamos em adiar”.

Créditos: Auto Racing

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *