“Carrossel” está de volta ao SBT a partir do dia 6 de agosto, às 18h15

Novela

Márcio Augusto – Colunista

Siga -nos no Instagram -@deolhonoidolooficial

Os telespectadores terão a oportunidade de embarcar mais uma vez nas emoções da novela que conquistou a família brasileira e se tornou um marco na dramaturgia brasileira. “Carrossel” (2012-2013), adaptação da autora Iris Abravanel, volta ao ar no SBT a partir de segunda-feira, dia 6 de agosto, às 18h15. A trama dirigida por Reynaldo Boury revelou ainda grandes atores mirins, como Larissa Manoela (Maria Joaquina), Jean Paulo Campos (Cirilo) eNicholas Torres (Jaime). Além disso, Maisa Silva (Valéria) surpreendeu o público ao ser revelada como atriz (até então era famosa como apresentadora e cantora). Vale lembrar que a novela foi fenômeno de audiência e comercial, que posteriormente deu origem a uma série, “Patrulha Salvadora” (2014-2015), com quatro temporadas, dois filmes (“Carrossel – O Filme” e “Carrossel 2 – O Sumiço de Maria Joaquina“) que levaram mais de 5 milhões de espectadores aos cinemas do Brasil, uma versão em desenho animado, turnê de shows pelo Brasil e também uma versão como teatro musical (“Carrossel – O Musical”) que ficou em cartaz em 2017.

Saiba mais sobre a história de “Carrossel” e relembre quem são os alunos da Escola Mundial:

A novela tem início com a chegada de Helena (Rosanne Mulholland) à Escola Mundial para assumir o cargo de professora efetiva. Helena traz consigo toda sua jovialidade, o desejo de lecionar e a disposição de propiciar aos alunos uma boa formação. Ela é a primeira e a única a conquistar todas as crianças do terceiro ano, batendo de frente com as regras e exigências da impetuosa e rigorosa diretora do colégio, Sra. Olívia (Noemi Gerbelli). Helena está sempre disposta a colaborar com todos, não só conquista a confiança dos alunos, como também acaba se envolvendo com os conflitos pessoais e familiares. Ela passa a ser, além de uma professora, uma grande amiga e conselheira. Helena encontra no velho Firmino (Fernando Benini), o zelador da escola, um fiel amigo. Os dois agem como conciliadores nos conflitos provocados pela autoritária Olívia, que não gosta da tolerância excessiva da professora com relação aos alunos. Firmino conhece todos os alunos e funcionários da escola e sabe lidar com cada um deles, até mesmo, com Dona Matilde (Ilana Kaplan), a exagerada professora de música, que sempre sofre com as travessuras das crianças e está sempre estressada.

Quando Helena fica doente, a professora Suzana (Lívia Andrade) chega para substituí-la e acaba cativando também o coração das crianças – Suzana quer o posto de Helena. A professora de música, Matilde, enlouquecida, deixa a escola e é substituída por Renê (Gustavo Wabner), que forma uma banda com os alunos do terceiro ano e tem um romance com Helena.

A Escola Mundial é aberta para todos. Meninos e meninas de diferentes raças, crenças e classes sociais são colocados na mesma sala de aula. A união e a igualdade são pregadas pela professora Helena, mas todos os alunos são tratados individualmente, caracterizando o jeito, a personalidade e as necessidades específicas de cada um.

Resumo dos Capítulos 01 a 05 (06.08 a 11.08)

 

Capítulo 01, segunda-feira, 06 de agosto

 

Depois das férias, as crianças se preparam para o primeiro dia de aula. Todos estão ansiosos para conhecer a professora nova. Helena revela à mãe que está um pouco nervosa para o primeiro dia de aula. As crianças chegam à escola. Elas brincam de pega-pega e pula- corda. Maria Joaquina é a única que não se entrosa, e esnoba as amigas. Valéria comenta com as meninas que mau humor pega. Maria Joaquina se apresenta à diretora e diz que é um absurdo ninguém recebê-la na porta da escola. A garota mimada acha a escola uma bagunça. Helena chega um pouco atrasada à Escola Mundial. Ao ver as crianças brincando no pátio, ela fica encantada. Por acaso, Helena esbarra em Firmino. Paulo toma a boneca de sua irmã Marcelina. Firmino mostra as dependências da escola à professora Helena. Ao ver Marcelina triste, Helena vai até ela perguntar o que aconteceu. Marcelina conta que seu irmão, Paulo, roubou sua boneca. Paulo entrega a boneca de Marcelina a Kokimoto, que lhe dá uma caixa com um sapo. Peralta, Paulo coloca o sapo no piano da professora Matilde. Ao ver Maria Joaquina, Cirilo sente amor à primeira vista. Os colegas chamam Cirilo e ele não ouve de tão encantado que está por Maria Joaquina. Firmino leva Helena até a sala da diretora Olívia, que pede para ele recolher os alunos do terceiro ano. Cirilo e Paulo se enfrentam. Laura apoia Cirilo e Paulo a chama de “balofa” e tonta. Helena fala a Olívia sobre suas experiências escolares. Olívia pega o manual da Escola Mundial e começa a lê-lo para a professora Helena. Jaime observa o comportamento prepotente de Maria Joaquina e a chama de macarrão sem molho. Cirilo diz a Maria Joaquina que está contente por saber que ela é da mesma sala de aula que ele. Ao abrir o piano, a professora Matilde vê um sapo e se desespera. A diretora Olívia apresenta Helena aos alunos do terceiro ano como professora fixa. Helena fala aos alunos que eles vão se divertir muito, mas todos fazem cara de tédio. Helena começa a fazer a chamada. Os armários da sala estão trancados, Helena sai para pegar as chaves. Paulo, Kokimoto e Jaime fazem uma armadilha para a professora. Professora Matilde conta à diretora Olívia que os alunos colocaram um sapo no piano. Ao tentar abrir o armário, Helena é salva por Cirilo, que toma um banho de farinha. Olívia vai à sala de aula perguntar aos alunos por que eles estavam rindo tão alto. Helena coloca panos quentes e Olívia pede que a professora a acompanhe até a diretoria. Marcelina comenta com as amigas que odeia o seu irmão Paulo. Kokimoto conta a Adriano e Davi que fez Marcelina ficar triste. Professora Helena aconselha Laura a comer menos, pois ficará difícil para ela perder peso. Professora Matilde afirma a Helena que Cirilo pisou no pé de Maria Joaquina de propósito. Maria Joaquina afirma a Cirilo que ele deveria ser preso, pois é um criminoso. Daniel fala a Helena que Cirilo pisou no pé de Maria Joaquina sem querer. As crianças repreendem o comportamento de Maria Joaquina, mas ela afirma que não precisa de ninguém. Ao conversar com Helena, Cirilo afirma que Maria Joaquina não gosta dela por conta da sua cor. No final da aula, os alunos saem correndo da sala. Helena se sente aliviada e diz para si mesma que terá muito trabalho pela frente.

 

Capítulo 02, terça-feira, 07 de agosto

 

Cirilo conta aos colegas que ganhou um beijo da professora Helena. Ao conversar com Maria Joaquina, Helena pergunta se a garota tem algum problema com Cirilo e pede para ela dar uma chance a ele. Jaime fala aos meninos que as mulheres são muito chatas. Valéria defende as mulheres e diz que elas estão à frente dos homens. Paulo chega e solta um arroto na cara das meninas. Olivia pergunta a Matilde se professora Helena se deu bem com os alunos. Helena se despede dos alunos com um beijo. Olívia e Matilde espiam Helena na sala de aula e comentam que ela não vai aguentar por muito tempo. Jaime, Adriano, Daniel e Cirilo decidem entrar numa casa abandonada. Firmino afirma a Helena que Cirilo tem um bom coração. Helena comenta que talvez ela tenha trabalho para ganhar a confiança dos alunos. Daniel, Adriano, Jaime e Cirilo têm a ideia de fazer da casa abandonada um clube, mas sem que as meninas saibam. Escondidos, Paulo e Kokimoto fazem barulho e os garotos saem correndo assustados. Em discussão com Jaime, Maria Joaquina o chama de gordo e tonto. Helena chega ao pátio e pede para os alunos formarem duas filas. Na sala, Helena pede para um aluno começar a ler a redação. Ninguém se prontifica e ela pede para Jaime, que inventa uma desculpa. Olívia pergunta a Matilde se Helena está conseguindo domar os delinquentes. As duas vão novamente espiar a professora. Olívia fica inconformada sobre como Helena consegue o respeito dos alunos. Olívia entra na sala de aula e pede para Helena preencher os formulários para a sua contratação. Durante o recreio, as meninas fazem uma votação para eleger o menino mais bonito da sala: Daniel ganha. Perversos, Paulo e Kokimoto contam a Cirilo que a diretora Olívia está com uma doença muito grave e rara no coração: hemorroida. Os garotos pedem para Cirilo ir perguntar como a diretora está. Valéria comenta com as meninas que a cara de santa que a professora Helena faz não a engana. Cirilo pergunta à diretora Olívia se ela está melhor da hemorroida no coração. Olívia fica furiosa. Davi chama Cirilo de burro e explica que hemorroida é uma doença que dá no bumbum. Helena está aflita preenchendo os formulários que Olívia pediu, pois o horário do recreio já acabou. Olívia faz os alunos do terceiro ano marcharem em fila até a sala de aula. Olívia alerta Helena sobre os atrasos dela, pois são constantes. As duas discutem e Olívia pede para Cirilo acompanhá-la até a diretoria. Marcelina pergunta à professora Helena se Cirilo vai levar uma advertência. Olívia dá uma advertência a Cirilo, que conta que foi Paulo que mandou ele pergunta se ela estava melhor da hemorroida no coração. Olívia afirma a Helena que Cirilo será suspenso. Ao entrar na sala de aula, a diretora Olívia flagra Paulo em cima da mesa da professora. A diretora chama os alunos de seres primitivos e leva Paulo para a diretoria.

 

Capítulo 03, quarta-feira, 08 de agosto

 

Helena comenta com os alunos que a diretora Olívia está uma fera. Olívia repreende Paulo e Cirilo. Cirilo tenta convencer a diretora de sua inocência, mas ela pede a agenda dos dois para dar advertência. Helena vai à diretoria conversar com Olívia. Davi está aflito porque a diretora pegou seu shofar, instrumento musical judaico. Helena fala da inocência de Cirilo a Olívia, que fala que a sala de aula da professora está fora de controle. Helena afirma a Olívia que não concorda com a postura dela. Olívia ameaça advertir Helena também. Na sala de aula, Jaime pega Cirilo e Adriano pelo pescoço. Daniel pede para Jaime soltar Cirilo, que cai no chão. Helena sai da diretoria e conversa com Graça, que a tranquiliza. Adriano começa a imaginar que Sherlock Holmes entra na sala de aula e começa a repreender Paulo. Adriano imagina que guardas ingleses levam Paulo para uma prisão. Professora Helena percebe que Adriano está em transe. Alícia conta a Helena que Adriano vive no mundo da imaginação. No recreio, Maria Joaquina e Valéria começam uma discussão. Valéria chama Maria Joaquina de exibida. Maria Joaquina retruca e chama Valéria de pulguenta. Ao chutar bola, Kokimoto quebra vidro da sala de aula. Maria Joaquina conta a Firmino que Kokimoto, Paulo, Jaime e Davi quebraram o vidro da sala de aula. Na sala dos professores, Matilde aconselha Helena a pedir demissão, pois os alunos do terceiro são terríveis. Firmino pergunta aos meninos quem quebrou o vidro da sala e ameaça contar à diretora. Paulo, Kokimoto, Davi e Jaime chegam atrasados à aula. Helena afirma que se eles estiverem envolvidos em confusão os levará para a diretoria. Matilde pergunta a Graça se ela gostou da professora Helena. A faxineira elogia Helena e Matilde fica com raiva. Valéria pede para professora deixá-la ir ao banheiro, mas ela fica no pátio da escola. Matilde vê a garota e pergunta se ela se deu bem com a nova professora. Valérica conta a Matilde que não foi com a cara de Helena. Matilde afirma que também não gostou de Helena. Ao chegar na sala de aula, Valéria comenta com Laura que a professora Helena é só um rostinho bonito. Termina a aula e Helena vai à diretoria pedir a Olívia para entregar o shofar de Davi. Helena consegue convencer a diretora e entrega o instrumento do garoto. Cirilo chega em casa e conta aos pais que levou uma advertência. José, pai de Cirilo, o repreende e manda o garoto ir para o quarto.

 

Capítulo 04, quinta-feira, 09 de agosto

 

Maria Joaquina conta à mãe que seus colegas são uns selvagens, pois quebraram o vidro da escola. Ela pede para a mãe contratar seguranças para ela. Valéria convoca uma reunião em sua casa. Ela fala às amigas que está desconfiada de que os garotos têm um segredo. Paulo também convoca uma reunião em sua casa. Marcelina e Bibi pedem ajuda aos meninos para salvar Valéria e Laura, pois elas ficaram presas na casa mal-assombrada. Olívia pergunta a Firmino por que ele precisa comprar vidros. Os garotos entram na casa mal-assombrada. As meninas estão disfarçadas de fantasma e eles saem correndo. Firmino revela à diretora que uma das janelas da sala de aula está com o vidro quebrado. Olívia pergunta quem quebrou a janela. Olívia ameaça Firmino e brada que quer ver o culpado em sua sala. Davi acompanha Valéria até a casa dela. Valéria inventa a desculpa à mãe de que está com dor de cabeça e tosse para não ir à escola. Rosa, mãe de Valéria, vai conversar com professora Helena. Cirilo puxa conversa com Maria Joaquina e ela diz que não quer ser incomodada. Olívia descobre o vidro quebrado na sala do terceiro ano. Valéria e Rosa aguardam a professora Helena na sala dos professores. Helena chega e pede para Valéria ir brincar no pátio. Helena pede a ajuda de Rosa para conseguir controlar Valéria, pois ela uma menina que tem muita energia. Rosa conta a Helena que Valéria já quis ser até apresentadora de TV. Olívia faz os alunos marcharem até a sala de aula. Professora Helena fica indignada ao ver o caderno de Jaime, pois é um caos. Ele pede para Jaime se organizar. Professora Helena avisa aos alunos que após o recreio terá teste de matemática. Valéria planeja roubar as respostas do teste. Olívia comenta com Matilde que vai descobrir quem quebrou o vidro da sala de aula. Ao ver Olívia e Matilde conversando, Adriano tem uma visão e começa a vê-las como bruxas mexendo num caldeirão cheio de sapos. Na sala de aula, Helena percebe que Adriano está estranho. Ele diz a professora que viu algo. Paulo vai ao quarto de Firmino para pegar seu estilingue de volta, mas não encontra. Valéria combina com Marcelina de ver as respostas da prova de matemática. Marcelina sente medo só em pensar.

Capítulo 05, sexta-feira, 10 de agosto

 

Paulo ouve a conversa das duas. Valéria caminha em direção à sala de aula. Olívia pergunta a Helena o que ela tem a dizer sobre o vidro quebrado na sala de aula. Kokimoto e Jaime confessam a Firmino que eles quebraram o vidro da sala de aula. Com medo, Marcelina tenta convencer Valéria a não olhar as respostas da prova. Valéria começa a procurar as respostas do teste nos cadernos da professora Helena. Paulo a assusta e ela derruba café e mancha o caderno de Helena. Aflita, Valéria pede a ajuda de Davi. Os dois vão à sala de aula e Davi tenta limpar o caderno. Na diretoria, Olívia aconselha Helena ter punhos firmes com os alunos. Preocupada, Helena comenta com Firmino que Olívia não aprova seu método de ensino. Valéria comenta com Davi que teme ser expulsa da escola, pois a professora Helena não vai perdoá-la. Toca o sinal e Valéria se desespera. Ao retornar do recreio, Helena pede para as alunos abrirem os cadernos, pois vai ditar os problemas de matemática. A professora percebe que seu caderno está manchado de café e pergunta quem entrou na sala de aula. Paulo conta que viu Valéria e Davi na sala durante o recreio. Professora Helena pede explicações a Davi e Valéria. Davi assume toda a culpa. Helena afirma que Davi ficará sem nota no teste e pede pra ele ir para a diretoria. Valéria vai até o pátio e afirma a Davi que quando crescer vai querer namorá-lo. Ela tasca um beijo na bochecha de Davi. Valéria revela a Helena que foi ela quem manchou o caderno e Davi assumiu a culpa. A garota pede perdão. A diretora Olívia organiza os alunos no pátio para a cerimônia da bandeira. Ela chama a atenção dos alunos que estão com os uniformes desleixados. Professores e alunos cantam o hino nacional. Helena conversa com Davi e afirma estar muito orgulhosa dele, pois foi um verdadeiro cavalheiro ao defender Valéria. Na sala de aula, Davi entrega uma cartinha a Valéria. Ao final da aula, Helena pede para Valéria parar com as travessuras. Em casa, Maria Joaquina conta ao pai que Jaime é o aluno mais burro da sala de aula. O pai a repreende e a aconselha a ajudar o colega. Jaime comenta com professora Helena que nunca participou da cerimônia da bandeira. A professora aconselha Jaime ser mais organizado com seu material, e também com seu uniforme e cabelos, que estão sempre despenteados. Helena dá o número de seu telefone a Jaime e pede para ele entregar a seu pai.

Confira o Perfil dos personagens:

 

Escola Mundial

 

Professora Helena Fernandes (Rosanne Mulholland) – Professora jovem, linda e meiga que leciona ao terceiro ano da Escola Mundial. Para Helena, o ensino caminha lado a lado com o amor. Conquista a confiança e a amizade dos alunos rapidamente. As crianças respondem a ela com entusiasmo, afinal se identificam com a personalidade extrovertida e engraçada da professora. Ela encara os desafios com bom humor e contagia seus alunos com otimismo, alegria e valores. Helena entra na escola e logo confronta os padrões rígidos da diretora Olívia. Não é adepta da filosofia que prega os professores: detentores do saber. Pelo contrário, acredita que as crianças têm muito a lhe ensinar. É moderna e antenada nas novas tendências da educação. Quebra as regras tradicionais e engessadas do ensino, de como as coisas devem ser feitas. Em sala, Helena incentiva seus alunos a pensar, sonhar e imaginar ao invés de só decorarem o conteúdo. É capaz de se fantasiar para descontrair e fazer seus alunos compreenderem melhor uma matéria. Seu desafio está em saber equilibrar sua essência alegre, descolada e afetuosa com a autoridade e rigidez que lhe são exigidas. Por conta da sua imaturidade profissional, Helena chega a se questionar se vale mesmo a pena manter a proximidade e o carinho com os alunos ou se o correto é a disciplina severa. Os resultados positivos na vida das crianças lhe mostram o melhor caminho. Com todos esses atributos, Helena se torna um referencial para seus alunos. É com ela que eles contam em todas as circunstâncias que enfrentam, sejam elas felizes ou tristes.

Professor René (Gustavo Wabner) – O professor René chega à Escola Mundial para substituir a professora Matilde. Muito charmoso e simpático, ganha rapidamente o respeito e a amizade das crianças. Ele e Helena vão se apaixonar, mas o amor do casal será constantemente perturbado pelas vilanias de Suzana.

Professora Suzana (Lívia Andrade) – É a contratada para substituir Helena quando adoece. No começo, é naturalmente rejeitada pelos alunos por não ser a querida professora. Apesar de ser formada em pedagogia, não tem muito jeito com crianças, pouco se importa com seus sentimentos e vontades. Para conquistar a confiança dos alunos e se aproximar deles, passa a utilizar meios nada corretos, oferecendo guloseimas, aumentando notas sem mérito, cobrindo erros e não impondo limites. É falsa e dissimulada com todos, consegue enganar muitos dos alunos com o seu jeito forçosamente agradável. Valéria é a única a não aceitá-la do começo ao fim. Suzana tenta colocar os alunos contra a professora Helena, para poder ficar e não perder seu emprego, mas tudo em vão. Helena volta ao seu cargo e ainda ajuda Suzana a ser contratada e lecionar para outra classe. Ao invés de ficar grata pela boa atitude de Helena, Suzana passa a cultivar uma inveja sem limites e a competir com a professora em todos os sentidos, profissional e pessoal, principalmente quando se diz respeito ao amor do professor René. Finge-se de boa amiga, mas por trás, faz de tudo para prejudicar Helena. Com a ajuda de aliados, como Jorge e algumas vezes, Mário, arma planos para sujar a imagem da querida professora.

Diretora Olívia (Noemi Gerbelli) – A diretora. Comanda sua escola com mãos de ferro. Seu método tradicional e engessado de lidar com as situações, não combina com crianças imprevisíveis que estão em transformação a todo o momento. A cara fechada e a postura rígida são suas técnicas para preservar a disciplina. Faz questão de se impor como autoridade e mostrar seu poder. Dificilmente admite estar errada para não transmitir fraqueza, mas isso tem o efeito contrário. Apenas mostra o quanto Olívia é frágil. Usa óculos de grau extravagantes e tem mania de arrumá-los, principalmente quando está nervosa. Está sempre vestida de tailleur e o cabelo preso em um coque impecável. A vida de Olívia se resume a Escola Mundial. Solteira, não tem mais nada com que se preocupar, dedicando-se completamente ao trabalho. Sua sala está sempre organizada. Segundo ela, as professoras devem ser firmes com os alunos, manter distância, impor respeito, preservar a ordem a qualquer custo. Não aceita que seus subordinados pensem diferente. Não tem paciência para lidar com os alunos, fala o que tem que falar não se importando se vai ferir ou não os sentimentos deles. Age com a razão e não com o coração. Quando a correção de algum aluno cabe a ela, Olívia não procura entender as causas dos problemas, pensa somente nas consequências e na punição. Tem certa dificuldade de lidar com seu lado feminino e quando tenta despertá-lo, acaba ficando ridícula. Entretanto, como qualquer ser humano, Olívia tem seus momentos de sensibilidade, o que lhe permite aprender algumas lições com seus alunos e professores.

Firmino Gonçalves (Fernando Benini) – Nascido e criado em Portugal, veio para o Brasil já mais velho, atrás de melhores oportunidades de trabalho. Firmino acaba deixando a esposa em sua terra natal, mas antes que tenha condições financeiras de trazê-la para perto de si, ela falece. Um acontecimento pelo qual tenta, mas nunca conseguiu se perdoar verdadeiramente. Esse fator acelerou o envelhecimento de seu físico e espírito. Sem ter mais por quem melhorar de vida, Firmino se acomoda com o emprego de porteiro que consegue na Escola Mundial. As crianças se tornam os filhos que nunca teve e os funcionários sua família. Gosta da solidão, algo que as crianças tentam impedi-lo de viver. Apegadas a Firmino, as crianças não o deixam sozinho nos momentos difíceis e mobilizam até seus pais para ajudá-lo. Nas horas vagas gosta de ler um bom livro, mas é quase sempre interrompido por uma ocorrência na escola que precisa de sua intervenção. Apesar de ser um pouco ranzinza, tem enorme apreço por todos, inclusive Olívia. Ele é quem melhor sabe lidar com a megera. Leva sua função muito a sério e sempre faz mais do que é seu dever. Chama carinhosamente os alunos de “santos diabinhos”. E sendo muito amigo deles, é capaz de encobertá-los se por uma boa causa.

Matilde (Ilana Kaplan) – Leciona música aos alunos da Escola Mundial. É adepta dos padrões de ensino tradicionais e age de maneira similar a diretora Olívia. Impõe disciplina aos alunos com ameaças que não pode cumprir, o que a faz perder a credibilidade diante das crianças. O fato de ser exagerada e escandalosa a torna motivo de chacota. É uma das vítimas favoritas das peripécias de Paulo e Mario, que adoram vê-la dando chilique. Firmino sabe bem como acalmar Matilde no meio de um colapso nervoso. O chazinho preparado por ele acalma os ânimos de Matilde em um piscar de olhos.

Graça (Márcia de Oliveira) – É ela a encarregada da limpeza da escola. Destrambelhada, confusa e escrachada. Fala o que pensa, não tem papas na língua e só se arrepende quando a besteira já está feita. Adora cantar alto enquanto faz seus serviços, o que perturba os alunos em sala de aula. Sua marca registrada é um espanador que leva consigo para todo lado. É preguiçosa e procrastina até quando pode. Volta e meia, ela precisa de um empurrãozinho para cumprir suas tarefas corretamente. É muito amiga de Firmino. Os dois juntos seguram os rojões da explosiva diretora Olívia. Ele vive quebrando galhos para ela e vice-versa. Cria amizade com os alunos do colégio que a acham muito engraçada. Por ser ingênua, Graça acaba se tornando alvo de algumas pegadinhas por parte das crianças, mas sempre as leva com espírito esportivo.

Escola Mundial (personagens sem família)

 

Laura Gianolli (Aysha Benelli) – Gordinha e sentimental, é a romântica da classe. Está sempre beliscando um pedacinho de comida. Inocente, deixa-se levar pelas emoções. Adora as histórias de princesa e sonha com um príncipe encantado. Vive desabafando um suspiro: “Isso é tão romântico!” ou “Isso é tão antirromântico” ou “Isso é muito sentimental”. Laura é fã de poemas, escreve com facilidade e graça. Suas composições são sempre bem feitas e cheias de adorno. Não falta à escola por nada. Boa aluna, é muito participativa nas aulas. Todo recreio, leva consigo um sanduiche, mas apesar de ser comilona, Laura não quer saber de alimentos saudáveis, prefere as guloseimas pouco nutritivas e passa longe de saladas e legumes. Iludida, volta e meia acredita que algum de seus colegas está apaixonado por ela. Não tem o hábito de se meter em confusão, mas se isso for preciso para ajudar uma de suas amigas, não hesita. Seus pais são muito apaixonados e extremamente carinhosos. A garota é gordinha porque sua mãe a enche de comida com medo que a filha fique subnutrida e adoeça.

Kokimoto Mishima (Matheus Ueta) – Um japonês espevitado e baixinho. Sua marca registrada é uma faixa amarrada na cabeça, a tradicional Hachimaki. Do tipo “invocadinho”, não perde a oportunidade de sacanear alguém. Precoce em suas curiosidades. Kokimoto não precisa se esforçar para ir bem na escola. Tem raciocínio rápido e tira de letra os problemas matemáticos. Dificilmente é descoberto pela professora Helena em suas traquinagens. Facilmente influenciável, é usado de capanga por Paulo Guerra, que periodicamente o instiga a fazer parte de seus planos mirabolantes. Como colocar um sapo vivo no piano de professora Matilde. Não é capaz de cometer atrocidades e isso compromete sua sociedade com Paulo. Seus pais são japoneses conservadores. O que mais interessa Kokimoto a respeito de suas raízes, são os samurais, vive perguntando para o pai sobre os guerreiros. Sonha em ser samurai quando crescer. O pai é dono de uma tinturaria e apesar de trabalhar muito, é atencioso e amoroso com o filho.

Adriano Ramos (Konstantino Atanassopolus) – É sonhador, criativo e apesar de disperso, não deixa de ser inteligente. Quando todo mundo menos espera, tem um insight genial. Não é estudioso, mas tira notas boas, o que é um mistério para os colegas, já que Adriano vive caindo no sono durante as aulas. É fã de livros e histórias em quadrinhos e é viciado em videogame. Bondoso e cooperador, volta e meia se mete em trapalhadas, sem querer. É introvertido e de poucas palavras. Prefere sentar no fundo da classe e sempre leva bronca da professora por estar dormindo ou desenhando durante a aula.  Seus colegas mais próximos são Davi (os dois se identificam no quesito imaginação) e Jaime Palillo (quem o defende sempre, mas também o usa como saco de pancada).

Bibi Smith (Vitória Diniz) – A estrangeira simpática. Tem um leve sotaque da língua norte americana e vive usando palavras em inglês para se expressar. Faz a política da boa vizinhança, mas não é muito fã de contato físico ou muita proximidade. Seus costumes não negam suas raízes, adora fast food e tecnologia. É materialista e gosta de luxo, já sonha em ganhar joias. É ótima aluna. Enfrenta alguns problemas de ortografia por ter sido alfabetizada em inglês, mas tira as matérias de letra. É a mais próxima de Maria Joaquina. Sempre tranquila, não costuma se meter nas confusões. Bibi é apaixonada por cinema e pelos astros de Hollywood. Seu maior sonho é se tornar uma atriz famosa quando crescer.

Alicia Gusman (Fernanda Concon) – Espoleta e moleca, gosta de esportes radicais e brincadeiras de menino.  Vai para todos os lugares, até mesmo para a escola, de skate. Veste-se de forma descontraída e sem muitas combinações Diferente do resto das meninas, não é de muitas frescuras, pega em insetos, bichos e coisas gosmentas sem nojo. Apesar de tudo, não deixa de ser feminina. Inteligente, mas pouco estudiosa ou cuidadosa, uma aluna mediana. Quieta e bastante observadora, só fala o necessário na hora certa. Alicia não tem certeza do que quer ser quando crescer, mas também não pensa muito nisso. Seu único interesse agora é aproveitar o tempo que tem para brincar e se divertir.

Família Medsen

 

Maria Joaquina Medsen (Larissa Manoela) – Arrogante, pensa que por ser filha de médico, rica e bonita é superior aos seus colegas. Racista e preconceituosa, não mede palavras para ofender seu colega, Cirilo, o qual despreza, também por gostar dela. Com o tempo, sofre isolamento e rejeição geral por parte dos colegas de classe. Com a repreensão dos pais e da professora Helena, Maria Joaquina muda de postura gradativamente. No quesito acadêmico, a professora Helena não tem do que se queixar. O caderno de Maria Joaquina é impecável e ela sempre cumpre com suas responsabilidades. Costuma delatar os colegas a fim de prejudicá-los, é orgulhosa e sempre os humilha quando tem oportunidade. Sonha em se tornar médica igual ao pai. Também sonha em ser estilista quando crescer. Sempre antenada na moda e se preocupa muito com o que veste. É influente e cria tendências, como acessórios, luvas e broches para enriquecer o uniforme e se diferenciar dos outros alunos. Os pais se sentem impotentes quanto ao caráter da filha. Sempre que Maria Joaquina tem atitudes preconceituosas e depreciativas, eles a corrigem, mas muitas vezes em vão. A garota se aproveita da insegurança de Clara, sua mãe, para impor suas vontades. Seu preconceito e arrogância são também influenciados pelas primas por parte de mãe, todas muito ricas, mas sem grandes valores.

Miguel Medsen (Fábio Di Martino) – Pai de Maria Joaquina. Sua origem é humilde, teve uma infância pobre. Trabalhou, foi determinado e diligente para chegar onde chegou. Homem digno, correto e cheio de valores. Procura ser justo no pensar e no agir, respeita as diferenças entre pessoas. Por ter passado dificuldades durante a infância, ajuda os menos afortunados como pode. Tem um coração benevolente. Clínico geral renomado e muito requisitado. Tem todo o mérito na obtenção de seu grande patrimônio atual. Tudo que possui foi conquistado com sucesso na sua profissão. Sabe da responsabilidade que tem como médico e ajuda os necessitados de tratamento que cruzam o seu caminho. Preocupa-se com o caráter e a educação da filha, se entristece ao ver as atitudes preconceituosas e elitistas da menina. Não tem paciência para os mimos de Maria Joaquina e da esposa.

Clara Medsen (Adriana Del Claro) – Mãe de Maria Joaquina. Vem de uma família tradicional, nunca passou necessidade. É acostumada com o conforto da riqueza e não abre mão deles. Os valores humanos que tem, são de seu marido Miguel. É obrigada a colocá-los em prática para tentar mudar a cabeça egoísta de Maria Joaquina. Uma mulher imatura, sem vivência. Tem dificuldade de lidar com as adversidades. Gosta de manter a aparência e colocar panos quentes nas situações. Não trabalha, mesmo assim, deixa todos os cuidados com Maria Joaquina e com a organização da casa para as empregadas. Em função de sua insegurança, encontra problemas na hora de impor a firmeza que Maria Joaquina necessita. É dominada pela filha e não reage. No começo, não é a favor da filha estudar na Escola Mundia, afinal estudou nas escolas de elite e pensa que a filha também merece o mesmo.

Família Rivera

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *